O Finame PSI continuará em 2014

Boa notícia divulgada no último dia 4 de outubro foi a decisão do governo de prolongar o Finame PSI do BNDES até o fim de 2014.

Boa notícia divulgada no último dia 4 de outubro foi a decisão do governo de prolongar o Finame PSI do BNDES até o fim de 2014. O Programa de Sustentação do Investimento (PSI) oferece condições especiais para o financiamento de caminhões, ônibus, máquinas agrícolas e outros bens de capital tinha duração prevista até o fim de 2013. Não foi definido se as taxas de juro da segunda etapa do programa ficarão como estão, isto é, 4% ao ano.

A notícia foi comemorada pelo setor automotivo, principalmente, pelas montadoras de veículos comerciais que começam a se recuperar de um 2012 muito ruim quando a quedas de produção de caminhões foi de 40,5% em relação a 2011 e de 25,4% na produção de chassis de ônibus. No setor de máquinas agrícolas 2012 não foi desastroso, mas eles também comemoram.

Graças ao Finame PSI o setor de máquinas espera bater recorde de vendas no mercado interno este ano, com uma expectativa de 83 mil unidades licenciadas, 18,4% a mais do que em 2012. Milton Rego, diretor da Anfavea e de relações institucionais da Case New Holland (CNH), afirma que entre janeiro a setembro foram vendidas 63,8 mil máquinas, 25,1% a mais do que no mesmo período do ano passado. Houve alta de 55,7% entre as colheitadeiras, de 33,5% para retroescavadeiras, de 23% para tratores de rodas e de 3,4% para cultivadores motorizados. Apenas os tratores de esteiras apresentaram retração, de 13,5%, no acumulado do ano.

O ano de 2013 será de recorde de vendas, segundo o executivo da CNH, porque mercado de máquinas aproveitou investir nesse ano, tudo que não investiu nos anteriores, que tiveram compras muito inferiores. Por causa do Finame PSI houve modernização das máquinas e equipamentos nos últimos 13 meses, o que deve se estender até os próximos quatro meses. A expectativa para 2014 é um crescimento sustentável, apenas para atender a demanda local. “A produção de máquinas continua a crescer, mas não na mesma proporção do mercado interno. Isso por causa da queda nas exportações.” De janeiro a agosto foram exportadas 11,5 mil máquinas, 5% a menos que no mesmo intervalo de 2012. Somente em setembro, 1,6 mil foram enviadas, o que representa uma alta de 44,5% sobre o ano passado, mas uma alta apenas “pontual” pois , segundo o executivo, a indústria brasileira tem perdido espaço para países como Argentina, Paraguai e Uruguai por causa do “manicômio tributário” que o país vive.

No acumulado de janeiro a setembro, foram montadas 75,8 mil máquinas, 19,8% a mais do que em 2012. Só em setembro de 2013 foram 8,8 mil máquinas, volume 36,3% maior do que o observado em setembro do ano passado. A produção de veículos comerciais, de janeiro a setembro de 2013, saltou 50,9% ante o mesmo período de 2012 considerando apenas caminhões com 149,1 mil unidades produzidas no período. Ônibus tiveram a alta foi de 23,1% em relação ao mesmo período de 2012 com a produção de 31,6 mil chassis de ônibus. Em vendas foram 13,6% maiores de caminhões e 10,1% maiores de ônibus. Foram licenciados 115 mil veículos comerciais (semileves, leves, médios, semipesados e pesados) vendidos de janeiro a setembro deste ano, contra 101.317 unidades em igual período do ano passado. Os ônibus somam 24.034 unidades em 2013 ante 21.836, em 2012. Apesar do crescimento, dos volumes de vendas e de produção, o resultado é menor do que em 2011 quando o setor bateu recorde.

Entre os caminhões os que mais vendem são os pesados com crescimento de 5,1% em relação a agosto de 2013 e 111,9% em relação a setembro de 2012. No acumulado deste ano, as vendas de caminhões pesados aceleraram 41,6%. São 40,8 mil veículos da categoria emplacados entre janeiro a setembro deste ano. Os semileves ao contrário apresentaram desempenho em queda de 19,2% nas vendas acumuladas . No total, foram licenciados 4,1 mil veículos este ano ante 5,1 mil unidades em 2012. Em setembro, as vendas somaram 493 caminhões, contra 537 em agosto, um decréscimo de 8,2%.

[Total: 0    Média: 0/5]

admin

Fundador e Administrador da empresa CotandoSeguro.com, Anderson Gimenez conta com mais de 25 anos de experiência no ramo de seguros onde hoje atende o Brasil todo dando consultoria em seguros para pessoas físicas e jurídicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *