20 Falhas de Quando a Seguradora pode Negar a Indenização

Melhor Seguro para Você

Nossa ferramenta calcula seu seguro em mais de 10 seguradoras.

    Chame nosso assessor no whatsapp e tenha sua simulação em até 5 minutos!

    Um seguro auto é feito e chegou o momento de utilizar a verba da indenização, mas algumas situações podem levar o segurado a perder o valor tão preciso para conseguir recuperar o seu bem.

    Por isso, ficar atento a detalhes da apólice de seguro pode evitar nos casos de quando a seguradora pode negar a indenização.

    Todos nós queremos nos sentir protegidos e ter essa tranquilidade tem um preço, além de ter suas próprias regras.

    Independentemente da segurada que escolhermos, da qualidade do serviço prestado ou dos benefícios que o segurado terá, existem regras que devem ser cumpridas para efetivar a indenização de um seguro auto.

    Se as regras preestabelecidas em apólice de seguro não forem cumpridas, o segurado automaticamente perde o direito de receber os valores pertinentes a apólice.

    Por isso é preciso estar sempre atento, muitos segurados inclusive, precisam de um carro reserva, mas não se atentaram se esse benefício estava em contrato.

    Ter um corretor profissional ao lado pode ajudá-lo a sanar suas dúvidas e diminuir os problemas, ler a apólice de seguros também é uma boa ideia.

    Mas para encurtar a sua busca por informações pertinentes e para sanar suas dúvidas de forma simples, leia este artigo simples e sairá daqui entendendo o que não deve ser feito quando a seguradora pode negar a indenização de um seguro.

    quando-a-seguradora-pode-negar-a-indenizacao

    20 Casos Quando a Seguradora pode Negar a Indenização

    Existem uma média de 20 casos onde a seguradora pode negar a indenização ao segurado, abaixo vamos detalhar cada caso para que você se blinde e consiga assim manter o recebimento do valor da sua apólice de seguro.

    1. Mudar o perfil durante a vigência

    Em qualquer seguradora, seja de pequeno ou grande porte, qualquer mudança deve ser informada. Caso você case, separe, mude de residência, ou em algumas outras mudanças que devem ser informadas em contrato é extremamente importante avisar o seu corretor para que o endosso com essa alteração esteja anexada em contrato.

    Imediatamente que o fato pessoal ocorrer o corretor deve ser notificado para evitar qualquer tipo de risco na hora de receber a indenização, porque essas mudanças acarretam diretamente no perfil de risco analisado pela seguradora.

    2. Dirigir Embriagado

    Uma das situações que acontece de forma comum do não recebimento da indenização do seguro é a embriaguez ao volante. Isso porque é contra lei dirigir embriagado e a seguradora segue as normas e regulamentações de trânsito brasileira.

    Caso um motorista seja pego embriagado, se envolva em um acidente e precise receber a indenização do seguro, ela será negada.

    3. Mentir sobre as informações na hora de fazer o seguro

    Se o futuro segurado resolve mentir sobre as informações de residência, uso do veículo e outras situações que envolvem o risco na hora de fazer um seguro, isso pode resultar em não recebimento do valor da indenização.

    Todos devemos saber que as seguradoras de moto, carro, casa e outros bens possuem um departamento especializado de investigação, esses profissionais possuem a habilidade de analisar todas as informações passadas para fazer o seguro e compará-las com a vida que o segurado realmente leva. Caso algum tipo de divergência seja encontrada, a indenização do seguro poderá ser negada. 

    Com certeza sempre é melhor ser sincero na hora de fazer um seguro para evitar dores de cabeça futura e o que hoje pode servir para trazer tranquilidade pode se transformar em uma enorme dor de cabeça.

    4. Uso do veículo por pessoas não habilitadas

    Muitos de nós queremos ensinar um familiar a dirigir, algumas pessoas que sabem dirigir podem pedir nosso carro emprestado e algumas outras situações podem acontecer, uma delas é o não recebimento do seguro em caso de acidente.

    Caso uma pessoa não habilitada esteja conduzindo um veículo segurado, infelizmente o valor da indenização não será recebido.

    5. Perfil com informações incorretas

    Informações erradas no cadastramento de um perfil de um segurado como, por exemplo, o nome ou a idade de um motorista já pode ser um problema.

    Mesmo que não aja intencionalidade uma recusa de indenização deverá ocorrer. Por isso, reveja as informações com calma e se for preciso veja novamente para ter certeza que todas as informações batem, é trabalhoso, mas evita dores de cabeça.

    6. Mudanças na parte estrutural do veículo

    Se qualquer mudança for realizada no veículo segurado após a contratação de um seguro ou de uma vistoria, essa informação deve ser passada para a seguradora. 

    Devemos saber que algumas seguradoras negam realizar a proteção de um bem modificado, por isso, mudar um motor de um veículo, rebaixamento de carro, por exemplo, as seguradoras normalmente não fornecem coberta. Por isso, fazer uma mudança como esta poderá acarretar perda de indenização do valor segurado.

    7. Tentar levar vantagem sobre a seguradora

    Qualquer tipo de atitude do segurado que leve a entender que está havendo uma tentativa de ganho de vantagem por parte do segurado, a recusa do seguro será feita. 

    8. Instalar acessórios chamativos no veículo

    Um dos casos de não recebimento de indenização de segurado é colocar acessórios de valor no veículo segurado, aparelhos chamativos como os de som, por exemplo, agravam o risco do seguro, pois chamam a atenção de ladrões.

    Por este motivo, toda seguradora exige que o segurado comunique qualquer alteração realizada no veículo. Para evitar qualquer problema, instalou algo novo em seu carro, comunique a seguradora para evitar problemas.

    9. Atrasar o pagamento do seguro

    Pagar a mensalidade para algo que serve para proteger é nossa obrigação, assim como um plano de saúde, nunca se sabe quando vamos precisar do nosso seguro. Por isso manter as parcelas em dia é fundamental.

    Atrasar o pagamento do seu seguro pode gerar suspensão da cobertura do seu bem, além disso, um atraso considerável pode gerar o cancelamento do seguro.

    Caso ocorra de um atraso de pagamento, antes que o não pagamento ocorra, entre em contato com sua seguradora imediatamente e negocie os valores em questão.

    10. Sinistro intencional

    Esse caso especificamente sabemos que você sabia, apesar de parecer improvável de acontecer, acontece. Alguns segurados podem provocar um sinistro para receber a indenização.

    Como existem profissionais habilitados e que analizam diferentes situações sobre o motivo do sinistro. Caso for comprovada a intencionalidade por parte do segurado, o seguro será negado.

    11. Acidentes ocasionados por terceiros

    Digamos que você tem um serviço para guardar o seu veículo enquanto viaja, mas o lugar contratado não possui seguro e o seu carro foi danificado. Infelizmente a seguradora não cobre este tipo de acontecimento.

    Um outro caso é quando um restaurante possui um manobrista e você deixou o carro para ele estacionar e ele bateu o seu carro, neste caso o seguro também será negado.

    Nestes casos acima o segurado deverá cobrar dos estabelecimentos o dano ocasionado, isso pode ser um problema.

    12. Aumento de risco

    Situações do dia a dia corriqueiro podem fazer com que tomemos medidas impensadas, por isso ficar atento a problemas como:

    • Deixar o vidro do carro aberto estacionado;
    • Chave do veículo esquecida no carro;
    • Porta do veículo aberta facilitando a vida dos bandidos e outras situações.

    Nesses casos acima e em outras situações é possível que a seguradora negue o pedido de indenização do seguro.

    13. Acidentes que envolvem parentes de primeiro grau e cônjuges

    Parentes próximos não são considerados terceiros pela seguradora, familiares como irmãos, filhos, pais e cônjuges estão inclusos nesses tipos de parentes próximos.

    Por isso, caso um segurado bata no carro de um pai, filho, irmão ou cônjuge, o seguro infelizmente não conseguirá atender ao sinistro.

    14. Documentos incompletos

    O dia que pedimos a Deus para não chegar, chegou e precisamos agir. Quando ocorre um sinistro alguns documentos são solicitados pela seguradora, somente quando o acontece o ocorrido eles são informados.

    Caso os documentos necessários para resolução do sinistro não sejam enviados pelo segurado, infelizmente a seguradora não abrirá o sinistro. O valor ficará retido até que a documentação seja regularizada.

    Por isso, devemos nos atentar aos documentos necessários e se possível enviar um e-mail confirmando se está tudo certo manterá o segurado tranquilo aguardando a resolução.

    15. Dirigir na contramão

    Tenho certeza que por essa você não espereva, mas é um fato corriqueiro, acontece com uma frequência maior do que imaginamos. 

    Entrar em uma rua na contramão e acabar colidindo será necessário resolver a situação no local sem entrar em contato com o seguro, pois não será coberto.

    As infrações de trânsito não permitem que o segurado receba a indenização, por isso precisamos ficar atentos.

    16. Dirigir acima da velocidade vigente

    Para ser indenizado pela seguradora será sempre necessário seguir as leis de trânsito, respeitar o limite de velocidade das ruas e avenidas é fundamental. 

    Caso a seguradora perceba que o seguradora colidiu e estava acima da velocidade permitida, o seguro poderá ser negado.

    O fato é simples, a seguradora poderá afirmar que o segurado assumiu o risco de estar am alta velocidade e descompriu uma norma básica de trânsito.

    17. Cobertura não inclusa

    Quando um futuro segurado resolve procurar um seguro de qualidade para proteger o seu bem, na hora da proposta devemos saber realmente sobre quais danos vamos incluir na coberta do seguro.

    Caso deixemos passar algum tipo de cobertura e o segurado em questão acabar se envolvendo em um acidente e o dano for em uma parte não coberta do bem, infelizmente a seguradora não cobrirá o dano.

    A apólice de seguro deixa isso claro e infelizmente não tem o que fazer neste caso, a seguradora não cobre o prejuízo.

    18. Tumultos generalizados

    Algumas seguradoras cobrem danos causados em caso de tumulto generalizado, porém é preciso estar em apólice do seguro contratado.

    Uma seguradora pode incluir cobertura de tumultos generalizados, enquanto outras podem excluir explicitamente este benefício. Portanto, será necessário sempre confirmar com o seu corretor ou identificar a cláusula na apólice de seguros.

    19. Falta de manutenção adequada

    Caso um dano seja ocasionado devido à falta de manutenção adequada do bem segurado, a seguradora pode negar a indenização.

    20. Danos preexistentes

    Se a perda for resultado de um dano ou condição preexistente não declarada durante a contratação do seguro, a seguradora pode negar a indenização.

    O que fazer quando a Seguradora nega indenização a terceiro?

    No caso da seguradora negar indenização a um terceiro, existem algumas etapas que podemos seguir:

    1. Verificar o motivo da negação: Analise cuidadosamente os termos e condições da apólice de seguro para entender por que a seguradora negou a indenização. Verifique se o motivo da negação está de acordo com as cláusulas e exclusões estabelecidas no contrato.
    2. Revise a documentação: Verifique se você forneceu à seguradora todas as informações e documentos necessários para apoiar a reivindicação. Certifique-se de que a comunicação com a seguradora tenha sido clara e completa.
    3. Recorrer à seguradora: Entre em contato com a seguradora para discutir a negação e tente resolver a questão diretamente. Explique seus argumentos e forneça qualquer informação adicional que possa ajudar a sustentar a reivindicação.
    4. Consultar um profissional de seguros ou advogado: Se a negação continuar mesmo após a comunicação com a seguradora, pode ser útil consultar um profissional de seguros ou um advogado especializado em direito do seguro. Eles poderão analisar seu caso, oferecer orientação legal e ajudar a determinar as opções disponíveis.
    5. Revisar as leis e regulamentos aplicáveis: Verifique as leis e regulamentos relacionados ao setor de seguros em sua jurisdição para entender seus direitos e obrigações como segurado ou terceiro beneficiário.
    6. Recorrer a uma autoridade reguladora: Se você acreditar que a seguradora agiu de forma inadequada ou violou as leis e regulamentos aplicáveis, poderá considerar entrar em contato com a autoridade reguladora do setor de seguros em sua jurisdição e apresentar uma reclamação formal.

    É importante destacar que as etapas acima são apenas sugestões gerais e podem variar dependendo da sua situação específica. Portanto, é sempre recomendável buscar aconselhamento jurídico especializado para lidar adequadamente com uma negação de indenização por parte de uma seguradora.

    Conclusão

    Ter uma corretora de seguros que realmente se preocupa com nosso bem-estar é simplesmente fundamental, seguro é para trazer tranquilidade, afinal de contas o seu dinheiro precisa valer a pena.

    Na Cotando Seguro você tem os melhores profissionais do mercado, todos especialistas em cada tipo de seguro, conseguindo fornecer informações valiosas para que você tenha o melhor plano pagando menos por isso.

    É por isso que temos a melhor nota do Google meu Negócio, nossos clientes sabem que nos importamos com os detalhes e sabemos que detalhes fazem a diferença.

    Acessa nossa home page e escolha o tipo de serviço que você precisa, ou se preferir, acesse nosso Whatsapp, clicando no ícone e fale diretamente com um especialista e deixe que a parte burocrática é conosco, enquanto a segurança e tranquilidade é para você.

    Picture of cotandoseguro

    cotandoseguro

    Você vai ler Sobre